Ligação série e paralelo de baterias

 

LIGAÇÃO SÉRIE E PARALELO DE BATERIAS

 

 

Ligação série e Paralelo de Baterias

 

Na maioria dos casos, uma única célula não fornece uma tensão alta suficiente e uma conexão em série é necessária para se conseguir uma tensão maior. Baterias à base de Níquel fornecem uma tensão de bateria de 1,25 Volts por célula. Uma bateria de Chumbo-Ácido fornece 2 Volts por célula e a maioria das baterias de Lítio-Íon são de 3,6 Volts.

 

Os sistemas de manganês e Lítio-Íon-Polímero às vezes usam 3,7 Volts como tensão nominal da bateria. Essa é a razão para freqüentes tensões pouco familiares, tal como 11,1 Volts para um conjunto de 3 baterias com química de manganês.

 

Baterias à base de Níquel são freqüentemente especificadas em 1,2 Volts. Não há diferença entre uma bateria entre 1,2 e 1,25 Volts; é simplesmente a preferência do fabricante.. Ao passo que baterias comerciais tendem a serem identificadas com 1,2 Volts por célula, baterias industriais, militares e de aviação ainda estão marcadas com a indicação de 1,25 Volts por célula. Um conjunto de 5 baterias à base de Níquel ligadas em série, fornece 6V (6,25 Volts com uma identificação de 1,25 Volts por célula) e um conjunto de 6 baterias fornece 7,2 Volts (7,5 Volts com uma identificação de 1,25 Volts por célula). A Chumbo-Ácido portátil vem em formato de 3 células (6 Volts) e em 6 células (12 Volts).

 

A família de Lítio-Íon tem 3,6 Volts para um conjunto de 1 célula, 7,2 Volts para um conjunto de 2 células e 10,8 Volts para um conjunto de 3 células. As baterias de 3,6 Volts e 7,2 Volts são comumente usadas em telefones celulares; laptops usam conjuntos de 10,8 Volts. Na ligação em série, a tensão do conjunto é igual à soma das tensões de cada bateria. A corrente do conjunto é igual à corrente de uma bateria. Tem sido uma tendência diminuir a tensão das baterias para dispositivos portáteis leves, tal como telefones celulares. Isso foi possível graças aos avanços na microeletrônica.

 

Para alcançar a mesma energia com tensões menores, maiores correntes são necessárias. Com maiores correntes, uma baixa resistência interna da bateria é crítica. Isso apresenta um desafio se dispositivos de proteção são usados. Conjuntos com menos células em série geralmente funcionam melhor que aqueles com 12 baterias ou mais. Similar a uma corrente, quanto mais elos ela tiver, maior será a probabilidade de um se romper. Em baterias de tensões mais elevadas, combinações precisas de células tornam-se muito importantes, especialmente se altas correntes de carga são puxadas ou se o conjunto é operado em temperaturas frias. Conexões em paralelo são usadas para a obtenção de altas taxas Ah (ampére hora).

 

Quando possível, projetistas de conjuntos de baterias preferem usar baterias maiores. Isso não pode ser sempre praticado porque novas químicas de baterias vêm em tamanhos limitados. Freqüentemente, uma conexão paralela é a única opção de aumentar a capacidade da bateria. Também é necessária a utilização em paralelo se as dimensões do conjunto restringirem o uso de baterias maiores. Entre as químicas de baterias, a de Lítio-Íon é a que melhor permite conexão paralela. Na ligação em paralelo a corrente do conjunto é igual à soma das correntes de cada bateria. A tensão do conjunto é igual à tensão de uma bateria.